16/09/2017 - 14:22

Em 2002 Zezé Di Camargo e Luciano, ganharam R$1.275.000,00 do PT de Lula

Manoel Afonso
ELE MUDOU Em 2002 Zezé de Camargo e Luciano cederam de graça a música ‘Meu país’ para Lula usar na campanha do PT. Agora Zezé disse numa entrevista: “...O Brasil precisa passar por uma depuração, até pensar no militarismo para reorganizar as coisas. Aí eles vão entregar de novo, ‘pronto, limpamos a corja aqui’. Acho que o Brasil precisava passar por uma depuração dessa”.
 
DECEPCIONADO A declaração do cantor retrata sua decepção com o quadro. É bom que se diga: na campanha presidencial de 2002 a dupla ganhou R$1.275.000,00 pela apresentação em 11 comícios. Só esse valor já é motivo para concluir: as empreiteiras sempre investiram nas candidaturas. Naquele ano a estrutura petista de campanha foi coisa de cinema. Quem está lendo a nota ajudou a pagar a conta.
 
‘COMBUSTÍVEL’ Após ouvir o prefeito de Costa Rica - Waldeli dos Santos Rosa (PR) sobre suas pretensões de disputar o governo em 2018, o presidente regional do PR – ex-deputado Londres Machado perguntou-lhe sobre a estrutura financeira de apoio aos candidatos a deputado. Waldeli esclareceu que apenas bancaria a própria campanha. Experiente, Londres limitou-se a ouvi-lo sem maiores delongas.
 
A PRÁTICA usual é que o candidato ao cargo majoritário se organize para atrair bons candidatos na chapa proporcional, resultando em votos a seu favor. Isso implica na disposição de arcar com gastos mínimos, sob pena da campanha não alçar voo. Não se consegue separar essas candidaturas aos olhos do eleitor. E sem gastar não se tem companheiros puxadores de votos, sob pena de sofrer com o ‘voto camarão’.
 
GEORGE TAKIMOTO (PDT) Aos 76 anos de idade é o deputado mais velho da Assembleia Legislativa. Vice prefeito ( 82) de Luiz Antônio - em Dourados - vice governador (86) e deputado federal (90). Sobre o cenário admite: é preciso atrair gente nova para a política, mas o ambiente assusta os pretensos interessados.
 
BOA AMARILDO! Todos acham lindo o Parque dos Poderes – a fauna e a paisagem de cerrado no entorno dos prédios administrativos. Mas muitas arvores já morreram e várias espécies a caminho. Esse é só um problema. Daí que a iniciativa do deputado Amarildo Cruz (PT) em criar mecanismos para gerenciar aquele local é necessária. Se por exemplo, cada órgão público criar estacionamentos de veículos, teremos um parque de cimento, sem vida.
 
TÁ CERTO? Uma simples resolução do Senado perdoou R$17 milhões de dívidas ( Funrural) de pessoas físicas e de empresas que adquirem a produção delas. Uma delas é a JBS. Nada contra a classe ruralista, mas esse perdão afronta o restante do setor produtivo que continua pagando altos encargos. Só porque o pessoal produz alimentos deve ter tratamento diferenciado?



O PESSOAL da agricultura – notadamente de plantio em alta escala – tem sido atendido pelos últimos governantes ( Banco Central e Banco do Brasil) nos pedidos de reescalonamento da quitação de dívidas com juros baixíssimos. Mas neste caso recente, o perdão compromete o plano de recuperação da economia do país e mostra: o Palácio do Planalto é refém da Frente Parlamentar da Agropecuária. Até onde o Governo vai abrir as pernas? Já rasgou a calça.


 
PREPOTÊNCIA Repercute mais um caso grave envolvendo integrantes do Ministério Público Estadual. Desta vez,o promotor Gilberto Robalinho da Silva que determinou a retirada do veículo do local onde sua mulher atropelou e matou na capital uma mulher de 91 anos de idade. O gesto contraria a lei e o discurso moralista do MPE de ‘defensor da sociedade’. Mal súbito é dirigir falando ao celular. O Promotor imagina a capital igual a sua Paranaíba no tempo dos coronéis? E a OAB – vai se calar?


 
Voltar
Site desenvolvido por: