04/06/2017 - 06:07

Imagens convencem os mais céticos e com áudio são unanimidade - Jornalista Manoel Afonso

Manoel Afonso
Expectativa quanto ao trabalho da comissão de parlamentares estaduais para investigar o governador Reinaldo Azambuja na delação de Wesley Batista, da JBS. Lembro: deu ‘pizza’ no caso envolvendo o deputado Paulo Corrêa (PR) ensinando o colega Felipe Orro (PSDB) a fraudar a lista de ponto. Por analogia... "Fantastico".

SEMPRE falo dos observadores de plantão no saguão da Assembleia Legislativa. De ‘etnias’ diversas, cada qual olhando o cenário de ângulo diferente. Devem ser ouvidos sim para uma avaliação mais próxima da voz das ruas. Num ponto eles são unânimes: PT, PMDB e PSDB – viraram trigêmeos em apuros.

IMAGENS convencem os mais céticos e com áudio são unanimidade. As cenas do tal encontro do pessoal do frigorífico entregando maços dinheiro ao ‘Polaco’ seriam irrelevantes na análise do contexto geral da crise do governo estadual? O que a população pensa sobre o caso? É a pergunta.

NA TELEVISÃO vimos muitas cenas de flagrantes de entrega de dinheiro produto de corrupção. A primeira no episódio do Mensalão, uma mixaria perto dos milhões das propinas nos incentivos fiscais, estádios, obras das Olimpíadas, Copa e JBS. Fica difícil acreditar que esse dinheiro dos empresários dos frigoríficos seria destinado ao Asilo São João Bosco ou Hospital do Câncer.

‘PELEANDO’ A situação nacional reflete aqui. O Governo Estadual lida em duas frentes: cortar gastos e negociar com mais de 15 categorias de funcionários clamando por aumento salarial e acenando com greve inclusive. A queda do ICMS do gás e das atividades que geram renda pesaram violentamente.

PREVISÕES Os funcionários vão intensificar as manifestações indo para as ruas e pressionando o Governo Estadual. Um velho filme dirigido pelos dirigentes sindicais, craques em desgastar a imagem dos governantes. É aquela história: nunca se perde a oportunidade para levar vantagem política.

SEM RODEIOS Para o secretário estadual de Administração, Carlos Alberto de Assis, os números do Governo não deixam dúvidas quanto às causas da crise econômica. Ele planeja montar, a partir de julho, uma equipe de monitoramento da arrecadação com a presença de representantes do funcionalismo inclusive. O secretário reafirmou a disposição de não fugir ao diálogo com os funcionários. Isso é bom.



O HOMEM? Foi difícil o papo de minutinhos com o juiz federal Odilon de Oliveira num supermercado da Capital. Menos pelos agentes de segurança e mais pela insistência de pessoas em cumprimentá-lo efusivamente, como se ele fosse o aniversariante do domingo. Já os políticos - passaram por lá sem serem notados.



NA ÚLTIMA edição falamos que o prefeito Waldeli, de Costa Rica, pretenso candidato a governador, pertence ao PR. Questionado sobre o fato, o deputado Eduardo Rocha (PMDB) retrucou sorrindo: “Ele é do PMDB – está só emprestado ao PR”. Esses partidos lembram Eduardo Cunha, Michel Temer, Sergio Cabral, Edson Giroto e Valdemar Costa Neto.


POLÊMICA na maioria das cidades, a taxa de iluminação pública ganha espaço na Câmara Municipal da capital. Ouvi do vereador Carlos Augusto Borges, o Carlão (PSB), argumentos interessantes que envolvem o episódio iniciado lá atrás na gestão de Alcides Bernal (PP), que embora tivesse dinheiro em caixa, não executou a troca de lâmpadas.



“Ser chamado de “doutor” é uma das utopias mais fascinantes do brasileiro”. (Nelson Rodrigues)
Voltar
Site desenvolvido por: