Quinta-Feira 22 de Junho de 2017
27/05/2017 - 04:54

MS, Estado do Pantanal ou Estado do Laranjal?

Manoel Afonso
LISTA SUSPEITA Assisti, li as defesas de vários políticos locais inseridos na famosa lista da delação dos irmãos Joesley e Wesley Batista. Como a mídia divulgou o teor destes argumentos, cabe ao eleitor sensato analisar os personagens citados, os fatos e tirar suas conclusões. Respeito a inteligência do leitor.

OPINIÃO PÚBLICA É o conceito formado. Passional ou implacável. Exemplos: na falta de documento cartorial do sítio atribuído ao ex-presidente Lula, vale o conjunto de informações relacionadas ao caso. Como não admitir a barbárie do policial rodoviário federal Ricardo Hyun Su Moon matando Adriano Nascimento com vários tiros de pistola aqui na capital?

E AGORA? A procuradora Jacequara Dantas, durante a visita do governador, Reinaldo Azambuja (PSDB) ao Ministério Público, fez um declaração forte que acusa e compromete os ex-governadores André Puccinelli (PMDB) e Zeca do PT. Disse ela: “O que vimos em outros governos era a tentativa de silenciar os promotores”.

ATÉ TU PEDRO? O deputado estadual petista Pedro Kemp no rol de beneficiados, vai representar o PT na comissão legislativa para investigar o governador. Logo ele, crítico mordaz do atual quadro político. Os R$ 30 mil recebidos seriam por boa fé dele ou falta de orientação da assessoria? A conferir.

PODEROSA Destaque para a quantia de R$ 102 mil destinada à deputada estadual Antonieta Amorim (PMDB), pelo fato dela ser irmã do empresário João Amorim, citado inclusive nominalmente na delação de Joesley Batista como intermediário e influente na cúpula da política local. Entenda como quiser.

RUSGAS Perguntei ao deputado estadual Beto Pereira (PSDB) sobre as duras críticas do Chico Maia (ex-presidente da Acrissul) ao governador Reinaldo em vídeo no Youtube. Na lata ele respondeu: “Ele não tem DNA de pecuarista. Não pode ser levado em conta”.

SUGESTÃO Na delação da Friboi, vários nomes foram citados como emitentes de notas frias para abate de gado. Até aqui apenas o deputado estadual José Teixeira (DEM), o presidente da Fundação de Turismo, Nelson Cintra, e o secretário da Fazenda, Marcio Monteiro, exibiram as notas fiscais.

O CORRETO é que as pessoas citadas tomassem a iniciativa de convocar a imprensa para explicar e exibir seus documentos. Quanto mais tempo pior. Já se comenta que poucos deles imitarão o governador Reinaldo. E aí terão dificuldades de reverter o estigma de corruptos. Quem avisa...

CASOS GRAVES Entre janeiro e fevereiro de 2016, Ivanildo da Cunha Mirando emitiu R$ 5 milhões de notas. O ex-prefeito de Dois Irmãos do Buriti, Osvane Ramos, emitiu notas de R$ 847 milhões. Elvio Rodrigues emitiu R$ 7,6 milhões entre agosto e dezembro de 2017. E tinham cacife para isso?

‘FIGURINHAS’ Impressiona a desenvoltura de alguns personagens ao longo das últimas administrações estaduais. São as chamadas iminências pardas, que agem nos bastidores no trafico de influência nas mais diferentes áreas. Entre elas João Roberto Baird, João Amorim e Ivanildo da Cunha Miranda. Até quando?

A ENXURRADA de denúncias envolvendo agentes públicos é diária, com prisões inclusive. Nas filas das lotéricas, nos cafés e bancos não se fala em outra coisa. Aí o brasileiro associa as dificuldades financeiras pelas quais passa às sacanagens dos políticos. E nem podia ser diferente.



DE LEVE ‘Quanto mais tem, mais querem’; a filosofia de grande parte dos políticos. Quando vejo-os em situação humilhante, levados pela polícia inclusive, questiono: será que vale a pena isso? Nem saúde ou idade tem mais para usufruir da grana. O que dizer aos amigos, familiares e vizinhos? Valeu a pena? Nada paga a tranquilidade, a honra e o direito de ir e vir de cabeça erguida. Vão levar o que no caixão?


BASTIDORES O Fundo Partidário chegará as 819 milhões em 2017 e isso atiça as velhas raposas da política nacional. Lembro que o manda chuva nacional do PSB, deputado Carlos Siqueira destituiu a deputada federal Tereza Cristina do comando local. Sem padrinho e sem cofre ela terá dificuldades em 2017.



FARTURA PTB de MS é fiel a Roberto Jefferson, participa com força do diretório nacional e morde na gorda fatia do Fundo Partidário. Lembro a frase antológica do ex-presidente Ivan Louzada: “Ser político não é fácil, principalmente quando se trabalha com sinceridade como trabalhamos”. Aí doeu. ‘Menos Ivan, please’.

Voltar
Site desenvolvido por: