08/09/2017 - 16:39

Uma Semana da Pátria ‘inesquecível’

Manoel Afonso
‘RONCAR PAPO’ A velha expressão que significa contar vantagens – sem atentar para as consequências – pode ser usada para definir as declarações do empresário Joesley Batista. Esse caso se parece com 2 episódios gravados que o leitor se recorda; do ex-deputado Ari Rigo soltando a língua para o jornalista Eleandro Passaia e do ex-senador Delcídio do Amaral ( ex-PT) em suas fanfarronices com o Nestor Cerveró.
 
O LEITOR rechaça a desculpa amarela dos personagens gravados. Não há argumento para desqualificar as expressões e o sentido delas naquele contexto. É mais ou menos como aquele cidadão que bebe umas pingas, pega o carro e atropela meia dúzia de pessoas no ponto de ônibus. A besteira consumada; sem retorno e sem conserto.
 
PÁTRIA AMADA! Os milhões em dinheiro vivo do ex-ministro Geddel Vieira; o depoimento bombástico do ex-ministro Pallocci, a denúncia do procurador Janot contra os ex-presidentes Lula e Dilma; as gravações de Joesley Batista e a ameaça do ex-ministro Mântega em soltar a língua sobre as negociatas petistas fizeram uma ‘Semana da Pátria’ sem igual. O país aguenta!
 
ENFIM JUNTOS? Ex-governador André Puccinelli (PMDB) e ex-prefeito Alcides Bernal (PP) ensaiam aproximação. ‘Interessante’: o primeiro responde a processo criminal movido pelo segundo, por conta de declarações chamando-o de ladrão. O fato se deu em 28/03/2014 num evento em Dourados. A frase de André referindo-se a Bernal: “Ele caiu porque é um ladrão e montou uma quadrilha para roubar a prefeitura”. Coincidência: eles pertencem respectivamente ao PMDB e PP – partidos envolvidos na corrupção grossa.

NO VENTILADOR A postura ativa do ex-governador André Puccinelli (PMDB) no cenário tem um componente despercebido pela opinião pública. Se ele anunciar sua retirada da vida pública, abandonando o barco, deixaria desesperados a legião de companheiros investigados e que respondem a processos graves. Daí eles poderiam ser contaminados pelo ‘vírus da delação’ com estragos imprevisíveis. Merda no ventilador.
 
DELAÇÕES Andam assustando meio mundo – de políticos à empresários. Não só o ex-ministro Antonio Palocci (PT) faz as contas projetando a idade atual de 57 anos com a idade previsível a época de sua soltura. Aí vêm as indagações: Vou sair inteiro da cadeia? Minha família aguentará tamanho estrago? Porque só eu preso enquanto outros estão livres por aí? Vale a pena estar rico – velho e doente – quando voltar à liberdade?
 
GERSON CLARO Deveria ter sido exonerado antes de pedir a demissão do cargo de diretor do Detran? Para a maioria sim. Ficou órfão, sem solidariedade mesmo dos políticos que o apadrinharam no cargo. A vida pública é assim; quando se cai, não aparece nem um amigo para o café. O beneficiado com o episódio foi Enelvo Felini, ex-prefeito de Sidrolândia - diretor presidente da Agraer - que tem posta sua candidatura a deputado estadual em 2018.


 
NO RETROVISOR Após somente um dia e meio de sua posse o ex-governador Pedro Pedrossian demitiu seu fiel amigo Osmar Dutra do cargo de diretor do Previsul porque ele havia demitido os grevistas da gestão anterior sem consultá-lo. Pedro alegou que queria ter analisado antes o episódio da greve. Preservou o governo e sua autoridade.


 
SURPRESA? Comparado pelos adversários (PMDB) durante a campanha como um novo Ari Artuzzi, o prefeito Ângelo Guerreiro (PSDB) continua surpreendendo até os mais céticos. Prefeito presente, de portas abertas, dispensa formalidades e verifica os problemas ‘in loco’. Seguramente é hoje o grande eleitor nas eleições de 2018. Sobre as comparações com Artuzzi em tom de deboche, Guerreiro sutilmente ironiza: “meus adversários confundiram simplicidade com despreparo”.

Voltar
Site desenvolvido por: