16/01/2018 - 06:27

Produção de jiló e berinjela ganham espaço nas hortas de agricultores em MS

Aline Oliveira
Correio do Estado
O produtor familiar que se dedica à produção de hortifrutigranjeiros deve ficar atento às culturas que melhor se adaptam ao clima quente e chuvoso de Mato Grosso do Sul. Alguns produtos registram alta de até 40% no valor de comercialização neste período, entretanto é fundamental buscar informações e orientação técnica para escolher a melhor opção e assim aproveitar para lucrar mais.

Entre os meses de dezembro e janeiro, duas opções que estão com preços atrativos são a berinjela e o jiló. Na primeira semana de janeiro, a Central de Abastecimento (Ceasa/MS) registrou um aumento de quase 39% no valor da berinjela, cuja cotação saltou de R$ 1,50 para R$ 2,80, o quilo. Com o jiló, o preço subiu ainda mais, saindo de R$ 2,33 para R$ 3,33, perfazendo uma elevação de 42,8%.

CUIDADOS E RESULTADOS

O cultivo é viável no verão, mas o produtor precisa ficar atento ao clima que é quente e úmido. Os problemas mais comuns são doenças provocadas por fungos e pragas que atacam o solo e consequentemente as raízes das plantas.

O agrônomo Victor Almeida é doutor em Fitotecnia e atua como técnico no programa Hortifruti Legal, do Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar/MS). Ele presta assistência técnica para um grupo de 30 produtores familiares que moram em Terenos.

Ele destaca algumas orientações que demandam pouco investimento. “A berinjela é uma cultura tropical, mas, que necessita de cuidados para ter produtividade. Entre as orientações que faço com as famílias atendidas estão a rotação da cultura com a crotalária que diminui a incidência das pragas no solo, fazer uma boa adubação no período do plantio e evitar plantar outra lavoura do mesmo produto, no ciclo seguinte”, explica o profissional.
Voltar
Site desenvolvido por: