09/01/2018 - 04:20

Com 120 pontos na CNH, diretor do Detran-MG fica proibido de dirigir

Entretanto, ele foi mantido no cargo após reunião no governo estadual

Notícias ao Minuto
Envolvido em polêmica por somar 120 pontos na Carteira Nacional de Habilitação (CNH), o novo diretor do Departamento de Trânsito de Minas Gerais (Detran-MG), delegado César Augusto Monteiro Alves Júnior, teve o documento apreendido na tarde de segunda-feira (8). Entretanto, ele foi mantido no cargo após reunião no governo estadual.

Paulista de Guaratinguetá, Alves Júnior cometeu 26 infrações de trânsito, quase todas a bordo de sua caminhonete Dodge Journey. Dessas, 16 já constam como pagas nos cadastros do Detran, faltando dez para serem quitadas.

A decisão teve o aval do chefe da Polícia Civil de Minas, João Octacílio Silva Neto, ao qual está subordinado o Detran estadual. O novo diretor foi nomeado no mês passado e alega não ter sido notificado sobre as infrações de trânsito. No último sábado, 6, ele declarou ter aberto um processo administrativo contra ele mesmo para apurar essas multas.

A CNH de Alves Júnior já havia sido suspensa por 60 dias por passar de 50 pontos. Das infrações cometidas por ele, segundo prontuário do próprio Detran-MG, 18 foram por excesso de velocidade. Ele é formado em Direito pelas Faculdades Metropolitanas Unidas (FMU) na capital paulista e ingressou na Polícia Civil de Minas em 1992 como delegado.

Penalidade

Em nota, o governo estadual informou que Alves Júnior, "como qualquer outro cidadão, tem que passar pelo processo de punição e reciclagem por ter ultrapassado o limite de pontos na CNH".

Já a Polícia Civil declarou que a permanência à frente do Detran se deve "ao histórico do delegado", que em 25 anos atuando como servidor da instituição mostrou "habilidade técnica, competência, compromisso e urbanidade no trato com o cidadão". Diz ainda que ele entregou voluntariamente a CNH "para dar início ao processo de suspensão". A reportagem entrou em contato com o diretor do Detran-MG, mas ainda não obteve resposta. Com informações do Estadão Conteúdo.
Voltar
Site desenvolvido por: