10/02/2019 - 07:13

Conheça dois moradores da capital que esbanjam simpatia

'A vida é muito boa de viver'

G1/MS
Todas as manhãs, o aposentado João Bosco caminha no Parque das Nações Indígenas, em Campo Grande, e faz questão de cumprimentar todas as pessoas que encontra pelo no caminho.

“Eu dou bom dia para todo mundo. Senão responder na segunda vez eu pergunto se eles estão precisando de dinheiro, aí eu tiro um sorriso deles”.

João ou "Grande", como é conhecido pelos frequentadores do Parque chama atenção pela simpatia. Ele diz que a intenção se exercitar e sempre espalhar o bom humor.

“Como eu quero morrer com 105 anos, porque se eu morrer antes eu vou ficar muito chateado. A vida é muito boa de viver ela, todo dia. Eu acho que ninguém tem problema, só de você acordar está bom demais”, comenta.

Quem conhece o "Grande" conta que não dá para esquecer essa lição de vida. “A gente fala poxa vida, como eu vim para cá em um lugar tão bonito desanimado. Aí encontra uma pessoa animada e fala não, opa! tem alguma coisa errada, eu to errada, aí a gente muda", diz Marinez Garcia.

Outro morador da capital que esbanja simpatia é o Vagner Campos de Oliveira, conhecido como “Paulistinha”. Enquanto vende cookies, ele sempre distribui sorriso para os clientes.

"Muda muito, o jeito de atender, de servir as pessoas, trabalhar, muda bastante", comentou o vendedor.

Luana é freguesa dos doces de "Paulistinha" e não abre mão do atendimento especial. “Eu venho aqui e falo, vou levar um, aí converso, converso e por ele ser simpático eu falo vê cinco então".

Outro bom exemplo

Uma aposentada de Campo Grande perdeu a bolsa com documentos, remédios, objetos e cerca R$ 900. A bolsa foi encontrada por trabalhadores das obras do Reviva do Centro. Eles devolveram tudo para a aposentada.
Voltar
Site desenvolvido por: