21/08/2018 - 05:10

Grupo coreano quer terreno para trazer usina a Campo Grande

Ao todo, o investimento da indústria pode chegar a 2 bilhões de dólares

Por LEANDRO ABREU
Correio do Estado
Levando em consideração a incidência solar, terreno plano e a qualidade de vida, o grupo coreano Korea System Business (KSB) veio a Campo Grande nesta segunda-feira (20) em busca de uma parceria com a prefeitura para instalação de uma usina de energia solar fotovoltaica e a troca de todas as lâmpadas da iluminação pública e dos prédios da administração municipal. Ao todo, o investimento da indústria pode chegar a 2 bilhões de dólares, porém, o grupo pleiteia incentivos que vão desde a disponibilização de um terreno até retorno financeiro com desconto em energia elétrica.

Representante do grupo no Brasil, Marcos Afonso explicou como deve funcionar a usina, que pode atender as 79 cidades de Mato Grosso do Sul. “Nenhum município vai gastar nada. Campo Grande precisa apenas nos disponibilizar um terreno de 330 hectares e 1800 hectares. O dinheiro para construir a usina já está garantido por um fundo financeiro de Dubai”, explicou.

A ideia do grupo é iniciar um novo núcleo industrial com a chegada da usina, que deve atrair outras indústrias multinacionais, que buscariam a energia limpa para o abastecimento de suas produções. “Com isso, seria criada a Smart City, que é a cidade inteligente com essa gama de indústrias. No fim, há previsão de investimentos de até 14 bilhões de dólares”, completou.

Após a reunião de hoje com o prefeito Marcos Trad (PSD), amanhã (21) o grupo retorna ao Paço Municipal para confirmar o interesse da Capital e assinar uma carte de interesse. “Com isso levamos à Dubai e para a Coréia para análise do projeto e se for assinado amanhã, até o fim de outubro retornamos com tudo em mãos, para que a prefeitura apresente a área a ser doada”, afirmou.

INTERIOR

Para os municípios do interior, o grupo coreano pretende trocar toda rede de lâmpadas atuais, por de LED. “As cidades também não terão que gastar nada. O que eles economizarem com as novas lâmpadas será repassado à empresa. Depois que o grupo recuperar o investimento, o equipamento é do município e eles passam a ficar com o que economizarem”, explicou ressaltando que a economia chega a 55% na conta de energia do município.

Ainda nesta terça-feira, o grupo prevê um encontro com representantes do Governo do Estado. “A ideia é listar todos os benefícios e incentivos fiscais disponíveis pelo Estado e apresentar a um grupo de indústrias coreanas, podendo trazer novos investimentos locais”, concluiu.

O grupo se reuniu e ainda deve se encontrar com prefeitos de Nova Alvorada do Sul, Dourados, Sidrolândia, Nioaque, Rio Verde, Glória de Dourados e Bodoquena.
Voltar
Site desenvolvido por: