13/09/2018 - 04:29

Italiano que freou moto de rival é suspenso e perde licença

Por SporTV.com, Misano, Itália
G1
A atitude antidesportiva do italiano Romano Fenati – que freou propositalmente a moto de um adversário após um entrevero na pista durante a prova da Moto2, no último domingo – pode ter dado um freio também na carreira do piloto.

O episódio, que já custou seu emprego, seu contrato de 2019 e provocou uma suspensão por parte da organização do Mundial, deve mandá-lo também para longe das pistas.

Em comunicado divulgado no site da Federação Italiana de Motociclismo, a entidade anunciou “a suspensão de todas as atividades esportivas, dada a gravidade dos fatos”, e a abertura de um processo disciplinar para julgar o piloto.

A audiência de defesa será na próxima sexta-feira, dia 14 de setembro.

Fenati se desculpou oficialmente pelo episódio, dizendo que gostaria de “acordar de um pesadelo” após ter visto as imagens. Falando à imprensa italiana, o piloto afirmou que pretende parar de correr. Antes, no entanto, quer “voltar à escola” após perder a licença de piloto.

- Agora, eu estou voltando para a escola. Com uma cabeça fria, peço desculpas e digo que não vou mais correr de novo, mas eu realmente não sei como me veria em cinco anos. No momento, eu só quero colocar tudo isso para trás. Voltarei a trabalhar na loja de ferragens – disse o atual vice-campeão da Moto3 ao jornal La Repubblica.

Como tudo começou
Durante briga por posição, Stefano Manzi tocou na moto de Romano Fenati, que escapou para fora da pista. Irritado, Fenati se aproximou lateralmente do adversário e apertou a alavanca do freio dianteiro da moto do rival. Manzi conseguiu se manter na pista, mas pouco depois foi ao chão. Fenati, por sua vez, tomou bandeira preta da direção de prova, sendo desclassificado.

O pedido de desculpas

No dia seguinte à prova, Romano Fenati emitiu um comunicado se desculpando pelo incidente:

- Eu me desculpo com o todo o mundo dos esportes. Nesta manhã, de cabeça fria, eu queria que tudo não tivesse passado de um pesadelo. Eu continuo pensando a respeito deste momento. Fiz algo sem palavras para descrever. Não fui homem. Um homem teria terminado a corrida e ido na direção de prova buscar justiça pelos lances anteriores. Não deveria ter reagido a provocações.

As críticas em relação a mim são corretas e consigo entender todo o ressentimento. Gostaria de me desculpar com todos que acreditaram em mim também a quem se sentiu ferido pelas minhas ações, que pintaram uma horrível imagem de mim e do esporte.
Voltar
Site desenvolvido por: