22/11/2017 - 04:47

Servidores vão à Justiça para barrar aumento na contribuição previdenciária

Aliny Mary Dias e Paulo Fernandes
Midiamax
Em reunião nesta tarde (21), sindicatos que representam servidores estaduais decidiram ingressar na Justiça com mandado de segurança para barrar projeto do Executivo que tenta fazer alterações na Previdência de Mato Grosso do Sul. A ação seria resposta à tramitação do projeto em regime de urgência, aprovado pelos deputados em sessão desta terça.

O mandado de segurança tem assinatura das diretorias dos sindicatos, incluindo a Fetems (Federação dos Trabalhadores em Educação de Mato Grosso do Sul), que representa 23 mil dos 40 mil trabalhadores do Estado. Também assinam o documento os deputados petistas Amarildo Cruz, João Grandão, Cabo Almi e Pedro Kemp.

Os principais questionamentos do Fórum dos Servidores estão relacionados com o aumento do índice de contribuição proposto pelo Governo, passando de 11% para 14%, e a proposta de unificar dois fundos previdenciários existentes.

A estratégia dos servidores em ingressar judicialmente com mandado de segurança indica que haveria problema na tramitação do projeto. As justificativas do documento, no entanto, ainda não foram divulgadas.A reunião dos trabalhadores acontece no auditório do Sindjus (Sindicato dos Servidores do Poder Judiciário) e análise de outros pontos de emenda apresentada ao projeto também é feita.

O projeto

A reforma da Previdência estadual tem o objetivo de ajudar a estancar um rombo de aproximadamente R$ 1,2 bilhão. A proposta do governo prevê aumento da contribuição do servidor à Previdência de 11% para 14%, enquanto a patronal, que é de 22%, vai para 28%.

Com a reforma, o Governo espera reduzir em 41% o prejuízo mensal com a previdência. O déficit previdenciário que é de R$ 83,7 milhões, passaria para R$ 48,6 milhões.
Voltar
Site desenvolvido por: