14/09/2018 - 03:26

Em mais um dia que custou a chegar, irmãs se reencontram após 62 anos

Luciene Carvalho
Nova News
“Se até as pedras se encontram, porque não acreditar que este dia chegaria”. Esta a afirmação de Maria Madalena da Costa, hoje com 81 anos de idade, em um mais um momento de emoção ao reencontrar a irmã Corina Paz de Lima, de 94 anos, após uma separação que durou 62 anos.

Maria Madalena, que mora em Novo Horizonte do Sul (MS), recepcionou a irmã que viajou quase 3 mil quilômetros de Maceió, capital de Alagoas, especialmente para o reencontro que aconteceu no último final de semana acompanhado de familiares de outras cidades, inclusive de Nova Andradina, que se juntaram para a comemoração.

Quem presenciou o tão esperado dia, como o filho de Maria, Valdemar de Lima Costa, conta que o momento foi marcante para toda a família que passou a não mais acreditar no impossível. “Como não poderia ser diferente, a emoção tomou conta de todos que ali estavam, especialmente das duas que ficaram sem palavras e o tempo todo só chorando e se abraçando. Em poucas palavras, de um lado minha tia Corina dizia que só Deus para dar a ela esse momento, e de outro, minha mãe respondeu que se até as pedras se encontram, porque não acreditar que este dia chegaria”, relembra.

Conforme detalhou ao Nova News, Valdemar expôs que o desafio de atender o desejo da mãe que era antes de morrer poder rever parte de seus irmãos não parou após o reencontro de Maria Madalena com Isabel Paz de Souza, de 84 anos, em fevereiro do ano passado.

Matéria de destaque à época do Nova News, as irmãs alagoanas não se viam há 58 anos e também se reencontraram em Novo Horizonte do Sul. Com familiares em Nova Andradina, Maria Madalena tinha a ideia inicialmente apenas encontrar o irmão mais novo com o nome de Antônio até que o dia que Valdemar, que trabalha na Vigilância Epidemiológica daquele município, foi quem começou a busca e, através dos dados do cartão do SUS (Sistema Único de Saúde), acabou encontrando a tia.

“Quando possibilitamos o primeiro reencontro, passamos a acreditar que poderíamos ir mais além e continuar nessa missão. Junto com o meu amigo Hugo Cardoso, que também na Secretaria de Saúde, encontramos mais uma irmã da minha mãe que, assim como no caso anterior, ela sequer imaginava ainda estar viva”, ressalta Valdemar.

Corina foi encontrada em julho de 2017 e só agora ela pôde vir visitar a irmã em Novo Horizonte do Sul devido a questões financeiras. “Toda a família se uniu para ajudar a comprar as passagens de avião da minha tia e de mais dois filhos que vieram com ela. Cada esforço com certeza valeu a pena”, finaliza o filho de Maria Madalena.
Voltar
Site desenvolvido por: