07/10/2017 - 06:08

Incógnita, o voo político do dr. Odilon - Jornalista Manoel Afonso

Manoel Afonso
DR.ODILON Aposentado na Magistratura Federal nesta quinta feira, deverá aceitar o desafio da vida pública partidária. É tida como certa sua imediata filiação partidária para não incorrer em eventuais problemas com a legislação. Seus movimentos até aqui indicam a filiação ao PDT para disputar o Senado, embora apareça bem nas pesquisas ao Governo inclusive.
 
INTERROGAÇÃO Evidente que tudo pode mudar quanto se trata de depender da vontade popular. Num país em crise tudo é possível. Todos os dias o noticiário acaba influenciando a opinião pública e diretamente afeta esse ou aquele partido ou político. No caso do dr. Odilon é que se questionar: seu cacife eleitoral irá aumentar ou diminuir com a aposentadoria.
 
QUESTÕES Sem tradição na política ele construirá um entorno que lhe dê suporte necessário para competir em igualdade de condições? Sua representação pessoal, sua trajetória com repercussão e visibilidade nacional e internacional, até onde ajudarão em seu projeto? Terá o reconhecimento contínuo do eleitorado – um tanto quanto estranho e às vezes incoerente até?
 
EM TESE o ex juiz Odilon representaria a grande novidade política desde a criação do Estado. De origem humilde, nordestino, sem tradição, pode ser o modelo sonhado pela população. É cedo para uma avaliação definitiva, mas sua determinação em participar do processo eleitoral é muito interessante e positiva sob todos os ângulos. Evidente, seu discurso poderá até cair no agrado e ele se transformar num fenômeno. Eleição – a gente só sabe como começa.
 
AGORA posso falar. Lauredi Sandin – diretor do IPEMS – confessou-me de que o dr. Odilon aparece em primeiro lugar nas suas pesquisas, inclusive para governador. Mas na maioria das vezes só isso não basta é claro. Mas não se pode esquecer o desempenho de Alcides Bernal – contra tudo e contra todos – quebrando paradigmas inclusive.
 
REAÇÃO Os políticos tradicionais concorrentes tem procurado explorar pontos que possam minimizar o potencial do ex juiz. Faz parte do velho jogo. Questionam a inexperiência dele, seu futuro partido e até fazem previsões catastróficas para o decorrer da campanha. Mas é o povo que decidirá o que efetivamente quer. E quando ele decide, não tem jeito. É como o estouro da boiada. Sem volta!


 
DEMOCRACIA: “É um erro estatístico, porque nela decide a maioria e ela é formada de imbecis”. (Jorge Luis Borges). “É apenas a substituição de alguns corruptos por muitos incompetentes”. ( George Shaw). “É a forma de governo em que o povo imagina estar no poder”. (Carlos D. de Andrade). “Quer simplesmente dizer o desencanto do povo, pelo povo, para o povo”. ( Oscar Wilde)


 
A SAÍDA Governo Federal, Governo Estadual e a prefeitura da capital parecem ter combinado na busca da solução que minimize os danos motivados pela grave crise econômica. O noticiário repleto de informações sobre o ‘REFIS’ deve funcionar como uma espécie de injeção para quem precisa ou pretenda regularizar a situação fiscal. Qualquer dinheiro que entrar nos cofres será bem vindo.



“O Brasil tem que parar de tratar esses bandidos com perfume francês”. (Dr. Odilon de Oliveira)
Voltar
Site desenvolvido por: