15/04/2018 - 06:15

O eleitor – vingador ou conivente em 2018?

Manoel Afonso
MISSÃO IMPOSSÍVEL Presidente Michel Temer (MDB) conclamou os políticos a auto-defesa pelas críticas recebidas. Aí vale lembrar a fala do senador Jeferson Peres (PDT) em 30/08/2006: “ Estamos aqui no faz-de-conta. Como disse o ministro Marco Aurélio: Este é o país do faz-de-conta. Fingimos que estamos fazendo a sessão do Senado, estamos em casa sem trabalhar.(…) A classe política apodreceu. Este Congresso que está aqui, desculpe-me a franqueza, é o pior de que já participei, a pior legislatura da qual participei. Nunca vi um Congresso tão medíocre.(…) O que se pode esperar, não sei. De minha parte, cumprirei o meu dever até o último dia de mandato, mas para cá não quero mais voltar”.” 

“VERDADES Figuras da estatura moral de Jeferson Peres (falecido em 2008) fazem falta ao Congresso Nacional. O balcão de negócios continua funcionando. Além daqueles já presos, é grande o número de congressistas protegendo-se da justiça através do escudo do foro privilegiado. Os noticiários político e policial se fundem com casos e cenas de prisões, investigações e escândalos. Não é por acaso; mais de 60% dos entrevistados nas pesquisas eleitorais preferiram se omitir. 

GEORGE TAKIMOTO O deputado do MDB quer encerrar a carreira política em Brasília onde reside sua família. Como deputado estadual acha que pouco pode fazer pela saúde. Quer aprovar a Loteria da Saúde com fim exclusivo de reverter o caos na rede pública. O dinheiro ficaria no município onde ocorressem as apostas e seria aplicado na reforma de equipamentos, prédios e na melhor remuneração dos médicos. Lembra: “Pode um médico ganhar só R$ 60,00 por uma operação de vesícula?” 

PODEROSO Pelas circunstâncias, personagens envolvidos e as declarações do deputado estadual Barbosinha (DEM), tudo leva a crer que o ex-prefeito Murilo Zauith terá carta branca para decidir o rumo do partido nestas eleições. Seu cacife político é superior ao do deputado Henrique Mandetta, seu colega de DEM. Nas entrelinhas da fala de Murilo percebe-se que ele não quer repetir mandatos; já foi deputado estadual, deputado federal e vice governador. 

CALENDÁRIO Findo o prazo da janela partidária, oficialmente teremos o reinício das atividades partidárias só após a Copa do Mundo; entre 20 de julho a 5 de agosto o período para as agremiações escolherem seus candidatos. A velha brecha para lavrar as atas, acomodar ou alterar situações deve continuar, pois os partidos e coligações terão até 15 de agosto (10 dias após) para fazer o registro das candidaturas. 

DESESPERO Os partidários do ex-presidente Lula tem motivos de sobra para se preocuparem com possíveis depoimentos do ex-ministro Antonio Palocci (PT) e do empresário Marcelo Odebrecht. Nitroglicerina pura. Se não bastasse a condenação que motivou sua prisão, ainda restam mais 7 processos: 2 na Vara Federal de Curitiba e 5 na Justiça Federal de Brasília. Portanto – Lula continua lá! 

‘BOA IDEIA’ O líquido da garrafinha bebericado pelo ex-presidente Lula (PT) naquele discurso antes da prisão rendendo comentários. Alguns alegam que tem tudo a haver com a proposta de Lula em se tornar ‘uma ideia’ (ou: 51 uma boa ideia). Outros lembram o episódio do jornalista Larry Rohter, correspondente do “New York Times” quase expulso do país por dizer que o ‘habito de bebericar de Lula’ era preocupação nacional. 

SOBREVIVENTES Quem serão os políticos em condições legais ou morais para disputar o Palácio do Planalto após a prisão de Lula e das investigações anunciadas contra vários personagens, inclusive o ex-governador Geraldo Alckmin (PSDB)? O eleitor – notadamente da classe média – já faz esse exercício de imaginação e aponta Álvaro Dias ( Podemos) e em último caso o deputado Bolsonaro ( PSL) para medir força contra o candidato da esquerda. Onde chegamos! 



DECEPÇÃO João Dória Jr. (PSDB) apareceu como meteoro no cenário político e com um discurso forte convenceu o eleitorado paulistano. Mas em pouco tempo a ‘obstinação’ de colocar a capital paulista nos trilhos foi substituída pelo projeto de se tornar governador a curto prazo e renunciou ao cargo em favor do vice Bruno Covas (PSDB). O eleitor paulistano – no mínimo – se sente sacaneado. 



INSULTO a nossa inteligência. O ex-presidente Sarney (MDB) lamentando a prisão do ex-presidente Lula dizendo-se ser seu amigo. Ora! Em campanha presidencial Lula foi ao Maranhão e desceu a lenha na oligarquia Sarney como mostra um vídeo na internet. Mas pensando bem – o velho MDB de guerra se parece com o PT em suas praticas delituosas. Taí preso por exemplo o ex-deputado Geddel Vieira, que serviu aos Governos do PT e do MDB. 



“A população lincha o rato de praia, mas perdoa o corrupto com a desculpa: ‘ele rouba mas faz’.” (Gabriel – O Pensador)
Voltar
Site desenvolvido por: