12/08/2017 - 05:26

O imbróglio da Santa Casa atraiu a atenção do Ministério de Contas

Manoel Afonso
MUITO ESTRANHO Claro que as pesquisas que rolam por aí devem ser vistas com cuidado, mas nem por isso deixam de sinalizar a tendência do eleitor. Mas em todas elas não há um só tucano pleiteando o Senado. De duas uma: Não acertaram com os institutos de pesquisas ou o tucanato priorizará a reeleição do governador Reinaldo.
 
COXIM Aos 62 anos de idade e com um marcapasso recentemente implantado, o ex-vice governador Moacir Khol (PSB) ainda sonharia como qualquer mortal - com a volta ao poder. Mas além do tempo implacável, as circunstâncias são bem diferentes de 1989. O eleitor está cruel com tantas sacanagens, anda doidinho para se vingar! E aí...
 
A PROPÓSITO Tenho ouvido no saguão da Assembleia Legislativa notícias sobre eventuais ensaios de ex-poderosos para o retorno a política. ‘Data Vênia’, esse pessoal precisa fazer a leitura correta da opinião pública em manifestações nas redes sociais e pesquisas. Às vezes seria mais prudente a troca do travesseiro ou até do colchão.
 
‘CABRESTO’ Tipo de voto em extinção. Sobrevive só nas relações do vereador das pequenas cidades com seus eleitores. Essa proximidade ou visibilidade possibilita o atendimento aos favores e ‘mordidas’ no dia a dia. É neste filão que os candidatos de 2018 apostam, municiando os vereadores que prometem transferir parte de seus votos.
 
VEREADOR é sabido, mesmo no primeiro mandato, de pouca cultura, aprende rápido como funciona o jogo eleitoral. O problema é que ele costuma supervalorizar seu potencial de votos. A realidade é bem assim na maioria das vezes: o número de votos que promete transferir é muito aquém daqueles votos que recebeu para a vereança. É que o mandato também desgasta ao não cumprir as promessas.
 
O DISTRITÃO ou Curralão que vem sendo anunciado para beneficiar os caciques dos grandes partidos, será um fator a valorizar o vereador. Em cada município e distrito o vereador passará a exercer o papel de corretor, intermediando os votos entre o eleitor e os candidatos a cargos proporcionais. Evidente, essa ‘missão’ não será gratuita, por simples simpatia ou amor ao partido. O jogo é pesado.
 
QUEM PAGA? Nossos abnegados candidatos terão R$3,6 bilhões pra torrar em 2018, ou seja 0,5% da receita líquida do Tesouro Nacional. Uma desculpa deles para não fazer esquemas ilegais. ‘Beleza’ mesmo é o sistema do Distritão que só funciona na Jordânia, Afeganistão e Vanuatu. Enquanto isso os hospitais brasileiros vivem na miséria.
 
O AVISO do eleitor emputecido já ocorreu nas recentes eleições no Amazonas. 25% do eleitorado nem compareceu; 12% simplesmente anulou o voto e mais de 3% optou pelo voto em branco. Isso totaliza mais de 40%. Vale também registrar os números do Instituto Paraná : 63% do eleitorado não pretende votar em quem já tem mandato.
 
O POLÍTICO profissional, aquele que todo dia aparece na mídia, corre o risco de ser comparado ao personagem mau caráter, vilão de novela. Há estudo desta associação no imaginário do público. Aí vem a explicação lógica: ambos ( ator e político) entram em nossa sala todos os dias via televisão. Mocinhos e bandidos; às vezes difícil separá-los neste Brasil do ‘Vale Tudo’.
 
‘NOSSO AIRBUS’ Lembra do avião que pousou no Rio Hudson (USA) com as 155 pessoas salvas graças a perícia do comandante? Pois é. Fico questionando o quanto está difícil encontrar o ‘piloto’ confiável, com a competência exigida para nos salvar neste momento turbulento. Teremos que optar pelo ‘comandante’ menos ruim? Minha geração está indo embora, sem esperança.

VIGILANTE Não poderia ser diferente. O imbróglio da Santa Casa atraiu a atenção do Ministério de Contas. Após decisão do Pleno do Tribunal de Contas do Estado determinou-se inclusive a inspeção. Existem pontos controversos a ser esclarecidos a fim se evitar a repetição do caos. Nestas horas há que se mesclar direito e bom senso.


 
INEVITÁVEL Em tempos de economia de mercado não há como conviver com os cartéis, entre eles de táxi. Contrariando a política ‘anti-UBER’ do PT, avança a CPI na Câmara Municipal da capital onde 14 pessoas já foram ouvidas. Insisto: 38 alvarás estão em poder de 4 pessoas de uma família. E eu fico questionando: será que os políticos petistas são ricos ou tem desconto no táxi?



CRÍTICAS ao Ministério Público não faltaram nos discursos em homenagem aos advogados na Assembleia Legislativa nesta última quinta feira. Por iniciativa do deputado Lídio Lopes (PEN) o colunista, advogado desde 1972, foi agraciado com a ‘Medalha Jorge Antônio Siufi’. Festa bonita ao lado dos familiares, amigos e colegas. Valeu mesmo!



“No Brasil os cidadãos temem o futuro – já os políticos temem o passado”. (Chico Anísio)
 
Voltar
Site desenvolvido por: