15/04/2018 - 06:24

Quais os critérios que o eleitor adotará para escolher nossos senadores?

Manoel Afonso
‘QUERENDO’ Além dos senadores Pedro Chaves (PRTB) e Waldemir Moka (MDB), mais sete pré-candidatos já anunciaram a disposição de concorrerem as duas vagas ao Senado.  O promotor público Sergio Harfouche (PSC), o ex-superintendente do Ibama Dorival Bettini (PMB), o ex-presidente da Acrissul Chico Maia (Podemos), o ex-Secretário estadual Sergio Miglioli (PSDB), deputado federal Zeca do PT, ex-prefeito Nelson Trad (PTB) e o deputado federal Geraldo Resende (PSDB). As inscrições continuam abertas. 

DESAFIOS Quais os critérios que o eleitor adotará para escolher nossos senadores? Afinal, qual o modelo pré concebido para ocupar o importante cargo? Quais seriam os predicados dos escolhidos? Pesariam meramente os fatores partidários ou as biografias? Integrar o Senado vai muito além dos privilégios garantidos por 8 anos a fio. 

‘ENGRAÇADO’ Enquanto os flertes se sucedem entre MDB e PSDB, não faltam comparações entre a atual e administração anterior. Os tucanos lembram a crise econômica e a capacidade gerencial do governo em honrar os compromissos financeiros e realizar obras em todos os municípios. Evidente que não esquecem os fantasmas do aquário do pantanal e das pontes que desabaram, sem contar os vexames das prisões do ex-deputado Edson Giroto (PR) e do ex-governador Puccinelli. 

ELEIÇÕES provocam ‘terremotos’ de efeitos secundários e aí segue-se a risca o ditado de que ‘cautela e caldo de galinha não fazem mal a ninguém’. Posto isso a mesa da Câmara Municipal de Campo Grande costurou antecipadamente a reeleição para o próximo biênio. Com isso João Rocha (PSDB) e Carlão (PSB) continuarão no comando daquela casa. E segue a galopeira. 

PROMESSAS Elas tem sustentado as candidaturas. O deputado federal Rodrigo Maia (DEM) em sua recente visita à Campo Grande não perdeu a oportunidade e prometeu tratar com carinho o pedido de perdão das dívidas dos agricultores. E como ficariam aqueles que já pagaram parcelas anuais dos débitos? Serão reembolsados? É por essas generosidades políticas que o Governo anuncia que as contas só voltarão a ficar no azul em 2022. Um festival de rombos e roubos. 

E AGORA? Primeiro foi o deputado João Grandão (PT) condenado pela 3ª. Turma do TRF da 1ª. Região a pena de 11 anos e 10 meses de reclusão em regime inicialmente fechado por envolvimento no caso da ‘Máfia da Sanguessuga’. Depois o deputado federal Vander Loubet (PT) denunciado pela 2ª. Turma do STF por organização criminosa, lavagem de dinheiro e corrupção. Agora o deputado federal Dagoberto Nogueira (PDT) condenado a pagar multa superior a R$5.8 milhões por abuso no exercício do cargo de Secretário de Segurança no Governo Zeca do PT. 

‘PERSEGUIÇÃO’ Com tantos casos escandalosos envolvendo a nobre classe dos políticos é de se pensar sobre essa espirituosa tese defendida pelo nosso ministro da Secretaria de Governo Carlos Marun – segundo a qual – o dinheiro do pagamento da reforma da casa da filha do presidente Michel Temer (MDB) seria da mulher do ‘lendário’ coronel João Baptista Lima Filho. Como se diz em competições de programas de auditório: “ponto pra ele – Marun”. 



VINGADOR ou conivente? Em qual dos papeis o eleitor se encaixará nas eleições deste ano – em que pese o farto noticiário sobre falcatruas, prisões e escândalos envolvendo a gloriosa classe política? A Lava Jato – por exemplo – seria uma grande farsa? Os políticos locais também enlameados estariam sendo vítimas de uma grande injustiça? Mas como se diz por aí: é preciso combinar com o eleitor. 


REGISTRO No último dia 6, em concorrida solenidade na Assembleia Legislativa, juntamente com colegas jornalistas que militam em nossa capital, fomos agraciados com a ‘Medalha do Mérito Jornalista José Barbosa Rodrigues’ – projeto do deputado Maurício Picarelli (PSDB) para reconhecer o trabalho destes profissionais. A indicação de nosso nome para receber a honraria foi da deputada Mara Caseiro (PSDB). Grato mesmo! 

Voltar
Site desenvolvido por: