08/09/2018 - 06:35

Com preservação de córrego, produção de água aumenta

Natália Yahn
Correio do Estado
Na terra da agropecuária, é a produção de água que tem ganhado força em Campo Grande. Implantado desde 2010 na Bacia do Guariroba, que é responsável por aproximadamente 40% do abastecimento da Capital, o Programa Produtor de Água da Agência Nacional de Águas (ANA) já mudou o cenário ao longo das cinco sub-bacias que formam o córrego. A região tem 36 mil hectares, onde atuam 65 produtores rurais. 

Oito anos depois, o córrego – formado pelas sub-bacias do Guariroba, Saltinho, Tocos, Rondinha e Reservatório, com total de 42 nascentes catalogadas – tem sinais de reação. O volume de água aumentou e  27 hectares ao longo do rio foram recuperados, além de seis nascentes.

Para este ano, a Associação de Recuperação, Conservação e Preservação da Bacia do Guariroba (ARCP) atua na recuperação de 32 hectares e nove nascentes. “Pra mim, é uma felicidade enorme ver o que fizemos neste tempo e os resultados alcançados. O córrego iria morrer se a gente não agisse”, diz o presidente da entidade e produtor na região há 30 anos, Claudinei Pecois.

Segundo ele, “com todas as ações que desenvolvemos, também conseguimos formar mais nascentes. Em uma área recuperada por um produtor, surgiu um açude, que agora deságua no córrego”, conta.

A preocupação de antes deu lugar à esperança de que a área seja recuperada e protegida, plano abraçado por todos que vivem e trabalham no lugar. “A grande maioria dos produtores já fez as intervenções e melhorias dentro de suas propriedades. Todos viram a importância das ações, para garantir água não só para nós, mas para a cidade também”, explica.
Voltar
Site desenvolvido por: