06/10/2017 - 16:00

Bebê de 4 meses sofre abuso dentro de casa e contrai doença venérea - DST

A bebê de apenas quatro meses foi diagnosticada com tricomoníase, uma doença sexualmente transmissível (DST) e teve sêmem coletado na região genital.

Blastingnews
Mais uma tragédia envolvendo o mais cruel dos atos humanos cometido contra uma criança recém nascida, é noticiada no Brasil. Uma menina de apenas quatro meses foi abusada sexualmente e para tudo ficar ainda pior, contraiu uma DST.

A menina foi internada há uma semana no Hospital da Criança João Vargas de Oliveira, em Ponta Grossa, no Paraná. Segundo os médicos a pequena foi diagnosticada com tricomoníase que é uma DST grave, mas o quadro foi controlado pelos médicos do hospital e a menina deve ter alta na próxima terça-feira.

Recém nascida de apenas quatro meses é abusada e contrai doença venérea

A Polícia Civil do Paraná revelou que apesar de não haver sinais de penetração na recém nascida, foi coletado sêmen em sua vagina.

O pediatra Lauro Schoenberg Filho, que também é diretor do hospital onde a pequena foi internada foi otimista quanto ao quadro da bebê e revelou que ela reagiu bem aos medicamentos contra a inflamação e que o quadro já foi controlado e a doença está regredindo. O hospital aguarda agora a decisão da Vara da Infância e Juventude, para liberação da criança para um abrigo social. Segundo ainda o médico Schoenberg, ela deve ser encaminhada ao abrigo Pequeno Anjo, na mesma cidade.

É possível que a guarda da criança seja concedida a uma avó materna, ou mesmo uma tia.

Investigação revela três suspeitos do abuso
A delegada do caso, Ana Paula de Carvalho que é responsável pelo (Nucria), um núcleo de apoio e proteção à crianças e adolescentes, disse que existem três suspeitos da violência contra a bebê.

É possível que tenha sido o irmão da pequena, um menino de 13 anos, o pai da criança, de 42 ou até mesmo o pai de outra irmã da vítima, ex-marido da mãe. Todos foram obrigados a fornecer material genético para comparação com o sêmen encontrado na menina.

O material foi enviado ao IML de Curitiba para análise e comparação.

Mãe pediu ajuda da polícia ao identificar secreção na área íntima da bebê
Segundo a delegada, a mãe procurou a polícia ao perceber algo estranho nos genitais da recém nascida. Ela mostrou fotos ao delegado de uma secreção que poderia indicar um possível abuso. A menina foi imediatamente encaminhada a um hospital. Isto aconteceu no dia 28 de setembro, 4 dias depois que a mãe tirou a foto.

Havia a suspeita inicial de infecção urinária, mas depois se constatou que se tratava de doença sexualmente transmissível.

No dia 29 de setembro a mãe oficializou o boletim de ocorrência. A avó da menina disse também que a mãe é usuária de drogas e que a casa é frequentada por usuários.

Mãe foi presa pois tinha mandado de prisão de 2015

Ao ser feita a identificação da mãe percebeu-se que ela tinha um mandado contra si de 2015, por assalto a mão armada e ela foi presa. A mãe também negou que ainda fosse usuária de drogas, o que foi desmentido pelas testemunhas. De toda forma ela ajudou com todas as informações para descobrir o que aconteceu com sua filha. 
Voltar
Site desenvolvido por: