26/08/2018 - 06:12

Mais de 5 mil litros de combustíveis foram contrabandeados da Bolívia para MS em 2018

Por Carla Salentim
G1/MS
Em Corumbá, MS, fronteira com a Bolívia, só este ano, segundo a Receita Federal, foram apreendidos mais de 5 mil litros de combustíveis contrabandeados da Bolívia.

Quatro brasileiros e um boliviano foram presos em flagrante por comércio ilegal de combusíveis em durante a operação Mad Max, nesta sexta-feira (24).

Foram apreendidos 200 litros de óleo diesel e 700 litros de gasolina, além de quatro carros com placas da Bolívia, que eram usados no contrabando dos combustíveis, segundo os investigadores.

Em Corumbá, o litro da gasolina custa, em média, R$4,60 reais. No país vizinho, é possível comprar por R$1,80. Este valor mais baixo é garantido por uma lei, só para os bolivianos. Estrangeiros pagam mais caro. Se o brasileiro for abastecer na Bolívia, por lei, vai pagar o preço internacional, R$4,60.

Para o delegado de Corumbá, Iure de Oliveira, é essa diferença de preços que dá início ao "ciclo do contrabando": "Essa diferença de preço é o ponto fundamental que faz com esses indivíduos queiram comprar o combustível mais barato na Bolívia e revender no Brasil. Isso e, talvez, a sensação de que não serão punidos, é outro fator estimulante".

O inspetor-chefe da Receita Federal em Corumbá, Zaquiel Vettorello, diz que as ações são fundamentais para combater o crime, já que a fiscalização diária na fronteira não consegue impedir essa prática:

"Seria um transtorno para a sociedade de Corumbá, se fosse feita a abordagem de todos os veículos que passam na fronteira, são de 3 a 5 mil veículos por dia, desses, de 200 a 300 são veículos de carga, então, a fiscalização na cidade de forma aleatórias é mais eficaz".

Os cinco homens presos na operação estão em Corumbá, aguardando audiência de custódia. Eles serão indiciados por contrabando e também por armazenar substância tóxica irregularmente. Se condenados poderão cumprir a pena de 3 a 9 anos de reclusão, além da multa
Voltar
Site desenvolvido por: