09/06/2018 - 04:11

Menina desaparecida em MS é achada em SP após 21 dias: 'coisa de jovem sem maturidade', diz pai

G1/MS
A família de Ana Carolina Martins Fursts, de 19 anos, terminou a noite dessa quinta-feira (7), em Campo Grande, com uma excelente notícia: após 21 dias do desaparecimento, ela foi encontrada em São Paulo. "Minha filha está na casa de amigos e vai chegar em breve. Nós vamos conversar e entender realmente o que aconteceu. É coisa de jovem sem maturidade. Agora, o que me interessa é saber que ela está bem, viva e com saúde", afirmou ao G1 o pai, Gilmar Fursts, de 42 anos.

Durante a investigação, a polícia manteve contato com servidores de outros estados e então descobriu o paradeiro da menina. O pai, que é avaliador técnico de logística, conta que passou noites "em claro", peregrinando entre delegacia e o Instituto de Medicina e Odontologia Legal (Imol). Em uma destas ocasiões, ele diz que foi informado de corpo com caracteristicas semelhantes a da filha e então foi até o local para fazer reconhecimento.

"Quando me ligaram e falaram como era a moça morta eu entrei em desespero, do jeito que me disseram, dava impressão que era minha filha por conta das inúmeras semelhanças, sai de casa com o coração na mão", comentou na ocasião o pai.

Ao chegar no local, Gilmar foi levado até o necrotério e teve dificuldades de fazer o reconhecimento, por conta do estado que o corpo se encontrava. As pistas de que não se tratava da filha dele começaram a aparecer quando foi constatado que a corpo não tinha tatuagens, já que a filha possui duas. A comprovação e o alívio total chegaram com o exame das digitais, que deu negativo.

Desaparecimento
Ana Carolina Martins Fursts, de 19 anos, está sendo procurada pela família desde o dia 17 de maio, data em que ela fez o último contato com os parentes por mensagem. Para a mãe, ela teria dito que iria para Ponta Porã, sem dar muitos detalhes. Já para uma tia, informou que iria para São Paulo.

Segundo o pai, a última vez que falou com a filha foi dia 13 de maio, em uma festa que reuniu boa parte da família. Testemunhas contam que Ana estava tranquila, alegre, que inclusive, disse que iria passar uma semana na casa do pai. Ana mora com o namorado, no bairro São Conrado, em Campo Grande.

O namorado informou aos parentes que também não sabe do paradeiro da jovem. Ela trabalhava como promoter de eventos. A família de Ana diz desconhecer qualquer desentendimento ou comportamento anormal da jovem antes do sumiço. O pai começou a fazer buscas particulares após registrar o boletim de ocorrência. Ele foi a rodoviária da capital sul mato-grossense e não encontrou nenhum registro de viagem em nome da filha, também ligou e mandou mensagens para amigos da jovem.
Voltar
Site desenvolvido por: