07/10/2017 - 13:00

Aos gritos de 'governador', Odilon participa de evento do PDT na Capital

Líderes do partido dizem que juiz aposentado se filiará dia 11 de novembro, mas cobiçado pré-candidato trata assunto com cautela

Campo Grande News
O clima eleitoral para as eleições que acontecem só daqui um ano, em outubro de 2018, fica cada vez mais agitado nos bastidores da política sul-mato-grossense, com possíveis candidatos surgindo espontaneamente nos encontros partidários, como ocorreu nesta noite de sexta-feira (6), com o juiz federal aposentado Odilon de Oliveira.

Odilon participou, como convidado, do evento que filiou novos nomes ao PDT em Mato Grosso do Sul. Apesar de seu nome não estar na lista de membros que aderiram oficialmente hoje à sigla, o magistrado foi aclamado pelo público tanto na chegada como durante sua fala, aos gritos de "governador".

As filiações acontecem no auditório da Anoreg-MS (Associação dos Notários e Registradores de Mato Grosso do Sul) e conta com a presença do presidente nacional do partido, Carlos Lupi, e de lideranças regionais, como o o deputado federal Dagoberto Nogueira e o articular e ex-parlamentar João Leite Schimitd.

Também estavam no evento o filho do juiz federal, o vereador campo-grandense Odilon de Oliveira Junior, que é filiado ao PDT, e o ex-deputado federal Antônio Carlos Biffi, que migra do PT para a nova sigla. Outro presente foi o ex-prefeito de Campo Grande a atual líder do PTB em Mato Grosso do Sul, Nelsinho Trad.

Na mesa de autoridades, quem abriu a fala foi Lupi, que logo de cara fez o convite formal para Odilon se filiar ao PDT. "Que venha para ser governador pelo partido", destacou o dirigente, lembrando também que esse foi o primeiro dia do juiz como aposentado, após vários serviços prestados.

"Mas a gente quer mais [se referindo ao trabalho feito como juiz e agora a aposentadoria]. Queremos sua coragem e competência para servir a esse estado como governador", aclamou Lupi, sendo seguido por palmas da plateia.

Filiação pronta? - Enquanto os discursos ocorriam, Dagoberto e Schimitd revelavam que a filiação de Odilon de Oliveira ao PDT ocorrerá dia 11 de novembro, porém o juiz aposentado não confirma a filiação e prefere adotar uma postura mais defensiva, dizendo que ainda está analisando as possibilidades.

"Vou me filiar a um partido que tenha compromisso com o povo, afinidade, e que queira retificar o país. Isso só vai ser possível através da moral. O partido que reunir esses requisitos, vai ter minha adesão. O PDT é um partido que tem interesse com o povo", discursou Odilon, sendo novamente festejado pela plateia.

Ele ainda completou a fala afirmando que foram quase 40 anos de trabalho "protegendo o Estado" da violência comum, como o crime organizado na fronteira, e da oficial. "Essa violência oficial dói, causa tristeza, causa fome", explica, se referendo a corrupção e negação de direitos sociais como moradia, entre outros.

Em seguida, o cobiçado pré-candidato foi embora do evento, já que tinha outro compromisso para ir nesta noite. Antes, à reportagem do Campo Grande News, Odilon ainda falou sobre o carinho que recebido. "Um convite [para se filiar e concorrer à governador] feito com a alma, com o coração. Isso mexe com o sentimento", destaca.
Voltar
Site desenvolvido por: