08/01/2019 - 08:02

Detentas costuram 2 mil lençóis para Hospital de Câncer de MS

'Bom saber que estou ajudando outras pessoas'

G1/MS
Reeducandas do Estabelecimento Penal Feminino "Irmã Irma Zorzi" (EPFIIZ), em Campo Grande (MS), estão dedicando horas de trabalho diário para atingir uma meta: Confeccionar 2 mil novos lençóis, que irão atender leitos do Hospital de Câncer Alfredo Abraão, na capital.

A iniciativa é uma parceria entre a Agência Estadual de Administração do Sistema Penitenciário (Agepen), Rede Feminina de Combate ao Câncer e o Hospital de Câncer Alfredo Abraão. A ideia é unir a ocupação produtiva e aperfeiçoamento profissional das detentas.

Há cerca de 3 meses, nas mãos das internas, tecidos previamente cortados recebem os acabamentos necessários. Os trabalhos integram outra ação que também ajuda pacientes com câncer: a confecção de perucas para mulheres em tratamento.

Atualmente, três custodiadas atuam na produção. Cada 3 dias de serviços, diminui 1 dia da pena, conforme estabelecido na Lei de Execução Penal. Em média, são confeccionados 60 lençóis por semana.

A interna Rosilene da Silva Floriano, de 37 anos, é uma das costureiras. Há 9 meses ela trabalha com a confecção das perucas e agora está empenhada na costura dos lençóis. Ela revela que não sabia nada sobre costura, e aprendeu as técnicas todas no estabelecimento penal.

“Achei ótimo, é uma nova profissão que estou aprendendo e posso ter lá fora”, comemora.

Natural de Santa Catarina, Elaine Soares Matias, de anos 52 anos, é outra detenta companheira de Rosilene na oficina há 2 meses, e vê o trabalho como uma forma de contribuir.

“Para mim, é bom saber que estou ajudando outras pessoas e, ao mesmo tempo, estou diminuindo minha pena”, afirma.
A representante da Rede Feminina, Dirce da Silva Ramos, que semanalmente vai até a unidade prisional acompanhar os trabalhos, comenta que, inicialmente a proposta seria de mil unidades a serem produzidas no presídio, mas foi preciso refazer os cálculos e dobrar a produção.

"Necessitamos destes materiais e encontramos aqui no sistema penitenciário o apoio que precisamos".

A Agepen realiza outros projetos que, segundo a instituição, beneficiam a população fora dos muros da prisão, como obras em prédios públicos, hortas sociais, fabricação de brinquedos e de cadeiras de rodas.
Voltar
Site desenvolvido por: