29/05/2018 - 04:50

Sesau tem doses suficientes para imunizar público-alvo de campanha

Izabel Jornada
Correio do Estado
Na próxima sexta-feira (1) será o último dia da vacinação contra a gripe e a expectativa é de que 198 mil pessoas que pertencem ao grupo de risco sejam imunizadas. De acordo com a Secretaria Municipal de Saúde Pública (SESAU) as doses chegaram na semana passada e a intenção é de não prorrogar a campanha, porém, se não atingirem a meta, como aconteceu no ano passado, a secretaria deverá abrir para o resto da população se vacinar.

As unidades básicas de saúde (UBS) da Capital vão estar atendendo das 7h às 11h e das 13h às 17h e no feriado de quinta-feira (31) e sexta-feira (1), os centros regionais de saúde (CRS) dos bairros Tiradentes, Nova Bahia, Aero Rancho e Cophavilla atenderão das 7h15 até às 16h45, sem horário de almoço.

Até o dia 24 de maio, 145.487 pessoas, de todos os grupos, foram imunizadas, o que representa 74,58% da meta que é imunizar aproximadamente 198 mil pessoas na Capital.

A maior procura é por parte dos idosos. Neste grupo 66,02% da meta já foi atingida. Dos 80.080 aptos a tomar a vacina, 69.597. Os professores foi o primeiro grupo a atingir mais de 100% da meta.  A expectativa era imunizar 6.944 pessoas. 
Esquema especial


A campanha segue até o dia 1º de junho nas 66 unidades básicas de saúde do município e durante o feriado de quinta-feira, dia 31.

Por enquanto a campanha é para vacinar pessoas a partir dos 60 anos, crianças na faixa etária de 6 meses a 4 anos, gestantes, mulheres até 45 dias após o parto, os trabalhadores da saúde, professores das escolas públicas e privadas,  povos indígenas, grupos portadores de doenças crônicas, adolescentes e jovens de 12 a 21 anos que estejam sob medidas socioeducativas, a população privada de liberdade e os funcionários do sistema prisional.

Documentação

Para receber a dose, todos os indivíduos do grupo de risco devem apresentar o Cartão Nacional de Saúde (CNS) e/ou número prontuário da rede de saúde de Campo Grande, documento pessoal de identificação e a caderneta de vacinação (caso tenha).

Além dos documentos exigidos para todos os doentes crônicos, devem apresentar laudo médico ou atestado da doença, podendo ser aceita cópia do receituário médico recente, as gestantes e puérperas: cartão da gestante, laudo médico ou exames com identificação; profissionais de saúde: a carteira de conselho ou holerite; os indígenas: cadastro na SESAU.

O controle mais rigoroso para imunizar as pessoas do grupo de risco é para atender as recomendações do Ministério da Saúde, que não irá disponibilizar doses extras.
Voltar
Site desenvolvido por: