09/01/2018 - 08:30

Acionistas pedem que Apple tome medidas para diminuir vício infantil

Segundo os investidores, a empresa precisa dar mais ferramentas aos pais para evitar o vício de crianças em smartphones

IG Tecnologia
Dois  grandes acionistas pediram para que a Apple estude com mais atenção o impacto do vício em smartphones no desenvolvimento das crianças. Em uma  carta aberta   publicada nesse último sábado (6), eles afirmaram que a empresa  precisa disponibilizar mais ferramentas que auxiliem os pais a garantir que o uso dos dispositivos esteja sendo feito de maneira saudável.

O centro de investimentos nova iorquino Jana Partners e o Sistema de Aposentadoria dos Professores Californianos (CalSTRS) acumulam, juntos, cerca de 2 bilhões de dólares em ações da empresa e, além de ativistas contra o vício em gadgets, ambos tem grande influência no mercado norte-americano. Enquanto Barry Rosenstein, fundador do Jana Partners, conseguiu pressionar uma rede de supermercados a ser vendida ano passado, CalSTRS é o segundo maior fundo de pensões públicas dos Estados Unidos.

As pesquisas

Na carta assinada por Rosenstein e pela diretora de governança corporativa do CalSTRS, Anne Sheehan, os dois investidores declaram que trabalharam junto com especialistas em desenvolvimento infantil para achar vínculos entre o uso de dispositivos eletrônicos e efeitos negativos na concentração, saúde emocional, sono e empatia. Um dos estudos citados foi o do psicólogo e professor na Universidade Estadual de São Diego, Jean Twenge, que descobriu que jovens americanos que passavam mais de três horas por dia usando esses aparelhos eram 35% mais suscetíveis a terem pensamentos suicidas do que os que usavam menos de uma hora por dia.
Voltar
Site desenvolvido por: