05/01/2018 - 09:30

Mark Zuckerberg promete "consertar" o Facebook

O CEO do Facebook, Mark Zuckerberg, prometeu "consertar" o Facebook, no que ele descreveu como seu desafio pessoal para 2018.

bbc
O CEO do Facebook, Mark Zuckerberg, prometeu "consertar" o Facebook, no que ele descreveu como seu desafio pessoal para 2018.

Em uma postagem em sua página na rede social, ele disse que estava fazendo muitos erros impondo políticas e impedindo o uso indevido de suas ferramentas.

O Sr. Zuckerberg se tornou desafiante todos os anos desde que o Facebook começou em 2009.

As mídias sociais foram atacadas por permitir a propagação das chamadas e falsas notícias antes das eleições americanas e outras.

O Facebook, em particular, foi criticado por permitir anúncios políticos vinculados à Rússia no período que antecedeu a eleição presidencial dos EUA em 2016 .

O Sr. Zuckerberg disse que pretende se concentrar em "questões importantes", que ele classificou como "proteger a nossa comunidade do abuso e o ódio, defender a interferência de estados-nação ou garantir que o tempo gasto no Facebook seja tempo gasto".

"Não vamos evitar todos os erros ou abusos, mas atualmente fazemos muitos erros ao aplicar nossas políticas e evitar o uso indevido de nossas ferramentas", escreveu ele.

"Se tivermos sucesso este ano, iremos terminar em 2018 em uma trajetória muito melhor".

Facebook - a arma de eleição secreta

Zuckerberg defende o Facebook sobre Trump

O CEO do Facebook disse que aprenderia mais olhando intensamente nessas questões do que fazendo algo completamente separado. No passado, as suas resoluções do Ano Novo incluíam o uso de gravata todos os dias e matando sua própria comida.

Mas os críticos questionaram por que ele precisava fazer um desafio anual dessas questões.

"O desafio pessoal de Zuckerberg em 2018 para si é ... fazer o trabalho que ele deveria estar fazendo como CEO do Facebook de qualquer maneira", escreveu o escritor de tecnologia Tweete, Maya Kossoff.

Ele disse que uma das questões que ele pretendia enfrentar era o debate sobre centralização e descentralização.
Voltar
Site desenvolvido por: