04/08/2018 - 05:32

A minha última semana na Europa...

Manoel Afonso
SONHO Na minha última semana aqui um olhar para a imigração de brasileiros e de outros trabalhadores de países da América Latina no velho continente. No hotel onde hospedei em Madri a camareira boliviana ganha 120 Euros por dia – o equivalente a R$570,00 aproximadamente. É autônoma, diarista sem seguro social. 

NO ESTÁDIO Santiago Bernabeu (Real Madrid) uma segurança imigrante do Equador ganha 900 Euros mensais. No Aeroporto de Orly (Paris) um funcionário imigrante português  feliz com o salário de 1.600 Euros. Em Lisboa uma brasileira ganha no Metrô 1.200 Euros. Na cidade do Porto um ex-caminhoneiro virou churrasqueiro e fatura 900 Euros; após 2 anos trouxe a mulher e o filho e sonha com o próprio negócio. 

A QUESTÃO A primeira vista parece que é bom porque a moeda Euro é forte: quase 5 por 1 – mas não se pode esquecer que os gastos também são feitos na mesma moeda e não em Real. O brasileiro que mora no Brasil acha que o imigrante fatura uma nota preta nos países europeus esquecendo-se dessa particularidade. Aferi num açougue do Porto: um quilo da ponta de costela minguinha custa o equivalente a R$30,00 e a carne de primeira chega ao equivalente a R$110,00. O açougueiro diz preferir carne do gado local, mas num restaurante serviram carne vinda da Polônia. Achei esquisito. 

EM LISBOA uma brasileira que mora em Miami confessou que não se faz patrimônio financeiro e que a questão do plano de saúde do Governo seria uma grande enganação. Em Cáceres na Espanha perto de Portugal – fundada 26 AC, – vários brasileiros na luta pela sobrevivência e com ares de frustração.. Em Évora (capital do Algarve), um professor está se aposentando com 1.700 euros apenas após 35 anos de trabalho. 

OBSERVAÇÕES Minhas origens rurais permitem avaliar a realidade em trechos por onde passei. Muita terra ruim, de pedras, montanhas e areia na região da Extremadura na Espanha e no Algarve em Portugal. Vi gado solto no pasto só 3 vezes em mais de 200 kms. Conta também a seca crescente nos últimos 40 anos, segundo os moradores. Pontes enormes mas sem água no leito. Usam irrigação com poços artesianos utilizando o líquido precioso em pequenas pastagens ou lavouras de milho. Será que compensa? Nessa hora não há como não lembrar do potencial do agronegócio brasileiro. 

A EUROPA envelhecida mas oxigenada com o dinheiro injetado pela Comunidade Europeia. Obras fantásticas implementadas em Nice ( França) e em Madri que estão mudando o perfil delas. Mas é inegável: a população envelheceu e motiva intenso debate sobre os caminhos a seguir. Previdência é hoje um debate mundial. Em Portugal existem, 1.500.000 aposentados ganhando salário mínimo. 

EM PORTUGAL com salário mínimo de 580 Euros ( o menor da Europa) os aposentados conseguiram agora um aumento de 5 Euros após muita luta. Enfim, a Europa não só Mônaco como imaginam alguns. Tudo é relativo. Aqui na cidade do Porto são 8 meses de muito frio e vento, o que praticamente amordaça algumas atividades econômicas. As pessoas não usam o metrô por diletantismo e sim por necessidade. No comércio tudo é contado milimetricamente. Sem colher de chá. 

MUITO DIFÍCIL Como sobreviver bem ganhando 580 Euros e pagando 200 Euros só com o aluguel do apartamento com 40 mts2 de um quarto? Um barbeiro brasileiro que já morou na Inglaterra , partilha a ideia que viver na Europa é uma grande ilusão. Cobrando 7 Euros por um corte de cabelo, diz que pretende voltar quando a situação melhorar no Brasil. Pelo jeito apenas os japoneses, dentro do rígido sistema de planejamento, conseguem economizar preparando o regresso ao Brasil. 

INVERSO Aqui no Porto há um restaurante famoso chamado ‘Mengos’. A enorme bandeira tradicional do Flamengo chama a atenção de todos os turistas e a explicação é bem interessante. O proprietário morou no Rio de Janeiro onde deu duro danado por 27 anos, Aí voltou para a ‘terrinha e abriu seu próprio negócio. Um dos atendentes é brasileiro e se diz feliz aqui. Detalhe: o delicioso café servido é da Colômbia. E vale dizer que o pessoal do Porto nos trata bem e dizem que ‘nossa fala é doce”. 

COMPARAÇÃO. O passe do jogador Neymar foi vendido por 220 milhões de euros. Pois e! Nestas andanças pela Europa estive na Freixenet – fundada em 1861 – a maior fabricante de vinhos espumantes da Espanha (entre Barcelona e Saragoza) que emprega 600 funcionários em época normal e mais de 1000 na safra – engarrafando 140 milhões de unidades por ano. Agora a parte interessante da nota. O grupo alemão de bebidas Oetker, a Henrel Co, segundo o jornal ‘La Vanguardia – adquiriu 50,67 das ações desta empresa pela mesma quantia paga pelo Paris Saint Germain ao nosso craque, os 220 milhões de euros 


INVERSÃO de valores. Comparar a trajetória meteórica de Neymar com a história de vida dos fundadores e sucessores desta empresa sobrevivente a duas guerras mundiais, Revolução Espanhola e outras crises econômicas europeias nestes nestes 157 anos, é inadmissível. Isto ajuda-nos a duvidar da realidade do mundo futebolístico com transações/salários milionários. A história de vida destes pioneiros e empresários sonhadores documentada e mostrada aos visitantes inclusive – vale muito mais que todos os feitos do atleta. A Freixenet produz 140 milhões de garrafas anuais, exporta para 109 países, com subsidiárias em 19 países. 



“Pagar imposto no Brasil é como comprar o ingresso depois que o circo já foi embora”. José Pires
Voltar
Manoel Afonso
Ampla Visão
Facebook curtir
Site desenvolvido por: