16/03/2018 - 15:06

O direito não combina com bom senso. Meu pirão primeiro!

Manoel Afonso
‘SOLIDARIEDADE’ O atual ministro de Governo Carlos Marun ignorou o clamor público contra o ex-deputado Eduardo Cunha (MDB) ao visitá-lo na cadeia em Curitiba. Repetiu o gesto visitando o ex-governador André (MDB) na prisão. Mas a exemplo das vezes anteriores, o ex-deputado Edson Giroto ( PR) foi esquecido na cadeia pelos companheiros de política. Nem Marun e nem Puccinelli levaram uma palavra de solidariedade. Evidente – medo de desgaste! 

‘CORAJOSOS’ Vendo as imagens do Juízes e Procuradores da Justiça Federal em postura de protesto na entrada do Fórum Trabalhista da nossa capital, não há como deixar de concluir: no Brasil retratado pelo personagem Justo Veríssimo, o direito não combina com bom senso. Meu pirão primeiro! Perguntar não ofende: O que será – por exemplo – que as empregadas domésticas destas autoridades pensam a respeito da ‘bagatela’ do auxílio moradia de seus patrões? Como dizia o maestro Tom Jobim: “O Brasil não é mesmo para principiantes”. 

UM PERIGO! O custo da terceirização de algumas atividades – antes inerentes a própria natureza das atribuições das administrações municipais e estaduais continua polemizando. Alguns alertam que essa opção acaba saindo muito mais cara se fosse realizada pela gestão pública, além de ser mais eficiente e de melhor qualidade. Sobre esse assunto conversei com dois prefeitos recentemente. 

O PRIMEIRO foi Maurílio Ferreira Azambuja que governa Maracaju pela terceira vez. Ao seu estilo calmo citou um exemplo assustador: quando assumiu o município gastava R$180 mil reais mensais só com a coleta de lixo. Tomou coragem: não renovou o contrato com a empreiteira e gasta hoje com frota e funcionários apenas R$75 mil por mês. Só com a economia comprou vários caminhões basculantes e equipamentos. Quando assumiu havia 10 ônibus escolares. Comprou 40 e cortou a terceirização. 

O SEGUNDO prefeito com quem conversei na governadoria foi Valdomiro Sobrinho (PR) de Mundo Novo. As mudanças começaram nas pequenas atividades da garage municipal onde instalou equipamentos para reparos diversos nos veículos e equipamentos. Também mapeou as estradas e investiu no transporte escolar municipal, limpeza e conservação das ruas. Valdomiro lembra que cabe sim a administração zelar diretamente pelos interesses do município, evitando delegar atribuições a terceiros que só visam o lucro. Exemplos a serem seguidos. 



SEGREDOS Sobre essas posturas o ex-prefeito de Aquidauana Felipe Orro e hoje deputado pelo PSDB, após assistir os relatos de Maurílio e Valdomiro, elogiou as iniciativas. Lembrou que como prefeito fugiu das propostas das empreiteiras dos serviços de tapa buracos e das ofertas de empréstimos de alguns bancos. Cuidou das ruas a custos incomparáveis e Aquidauana foi a única – dentre 25 cidades – que não se deixou seduzir pelas ‘tentadoras propostas’ de um banco alvo de medida punitiva do Banco Central. 



AVISOS: “Existe o vácuo de representação. O eleitor não se sente representado pelos partidos e políticos. A rejeição será enfrentada por todos.Dois terços do eleitorado não tem partido de preferência. Qualquer político que apareça no horário eleitoral será visto inicialmente com desconfiança. Existe a indignação que não está nas ruas, também por conta da internet, mas é preciso que os candidatos estejam sintonizados com isso. Quem conseguir personificar a indignação terá mais chance.” ( Mauro Paulino – diretor do Datafolha) .



 
Voltar
Manoel Afonso
Ampla Visão
Facebook curtir
Site desenvolvido por: