03/02/2019 - 02:27

Lojas da construção driblam crise e vendas crescem 6,3%

Daniella Arruda
Correio do Estado
Após atravessar um ano de obstáculos ao crescimento econômico, entre eles os impactos da greve dos caminhoneiros, alta do dólar e os jogos da Copa do Mundo, varejo de materiais de construção entra na reta final de 2018 registrando retomada das vendas e sinalizando grande expectativa de aquecimento do mercado em Mato Grosso do Sul.

De janeiro a novembro, o setor apresenta alta de 6,3% nas vendas no comparativo com o mesmo período do ano passado. Nos últimos 12 meses, o avanço é de 8,2%. Somente na comparação com outubro, a comercialização registrada pelo setor teve aumento de 7,9%. Já em relação ao mesmo mês do ano passado, o segmento manteve estabilidade no Estado, com aquecimento na capital, Campo Grande.

Os dados são da pesquisa efetuada pela Associação do Comércio Varejista de Materiais de Construção de Mato Grosso do Sul (Acomac-MS) e do Sindicato do Comércio Varejista de Material de Construção de MS (Sindiconstru), que entrevistou 230 lojistas entre os dias 24 a 30 de novembro. Segundo o levantamento, quase todas as regiões do Estado apresentaram crescimento.

De acordo com Mário Sérgio Marinho, diretor-executivo das duas instituições, o aumento de vendas já era esperado no mês e foi influenciado pelo otimismo do mercado financeiro com o resultado das eleições. “Em período de transição do governo federal, pós-eleição, as pessoas tendem a liberar os gastos com sentimento de mudanças  frente à economia, mas tem um sentimento de otimismo muito grande por parte do mercado financeiro com a provável, e agora confirmada, eleição do candidato Jair Bolsonaro (PSL). Tivemos queda do dólar de mais de 7% no mês passado e alta de mais de 6% na Ibovespa, principal indicador da bolsa paulista. Esse otimismo refletiu nas lojas, as pessoas voltaram a comprar e a planejar gastos com a casa”, explicou.
Voltar
Site desenvolvido por: