12/03/2017 - 06:21

Disputa acirrada entre Puccinelli e Azambuja mas população quer o "novo"

pesquisa foi realizada entre os dias 1º e 10 de março de 2017, com 3 mil pessoas com idade acima de 16 anos, em 17 municípios de Mato Grosso do Sul.

Da Redação
Diário da Midia
O Instituto Ranking pesquisou a eleição para governador. Segundo levantamento do Instituto Ranking, que pesquisou dezessete municípios, o ex governador André Puccinelli lideraria uma eventual disputa, e seu adversário da hora, seria o governador Reinaldo Azambuja.

Pela pesquisa, e comparando se diretamente os dois, Puccinelli ainda tem uma rejeição maior que Azambuja, em que pese o momento de dificuldades que atravessa o governo do estado.

GOVERNO AZAMBUJA - RELATÓRIO ANALÍTICO

O Governo de Reinaldo Azambuja é considerado pela população uma administração mediana. É um governo que ainda tem tempo de se recuperar para as eleições 2018, assim como pode piorar mais a avaliação de sua administração.

O governo do PSDB passa por um momento delicado diante da opinião pública. Sua avaliação cai gradativamente em todos os setores da sociedade. Reinaldo tenta manter a gestão, mas não apresenta bons resultados, deixando o estado órfão de um governador, de um líder. Azambuja  tornou-se um mero gerente na administração do estado.

Tem ‘controle’ das informações divulgadas pela imprensa, mas não apresentou ações positivas para convencer a população e nutrir apoiadores. Seus eleitores estão sem discurso para defendê-lo. Não cometeu grandes erros, porém não apresentou acertos. Importou um formato de comunicação e não o ajustou às particularidades do estado. 

Falta habilidade política, não existem agentes políticos que se destacam em nenhum setor do governo do estado. Não apresentou programa de desenvolvimento econômico, políticas públicas em nenhum setor, tampouco conseguiu terminar obras do governo passado, ou iniciar novas.Tentou viver da Caravana da Saúde e ações publicitárias, porém no primeiro teste - eleições de 2016 verificou-se a fragilidade da gestão e deixou 'feridas abertas' que sangram até os dias de hoje.

Não é uma boa administração, porém não é ruim. Mantém-se bem administrativamente, mesmo com a situação de crise nacional, porém não consegue fazer com que este discurso seja absorvido pela população sul-mato-grossense, situação que pode ser revertida, como apontam os indicadores deste levantamento.

Tem como principal fragilidade o aumento dos impostos, além de outras promessas de campanha não cumpridas, que atingiu grande parte de seu eleitorado, os empresários, servidores públicos, a indústria e o agronegócio. Suas ações, caso existam, não são percebidas pela população em geral. Falta de uma comunicação eficaz e direcionada. 

Reinaldo Azambuja transformou-se no melhor aliado de seus adversários ao governo do estado. Destacando-se como oponente principal na atualidade o ex-governador André Puccinelli, que ocupa os espaços vazios deixados pelo atual governador. 

Por outro lado, devido à rejeições e polêmicas judiciais registradas neste levantamento, pode surgir um “novo nome” que represente uma terceira via pode mudar o quadro político, dando mais oportunidades de escolha para a população de Mato Grosso do Sul.

Confira os índices de intenção de votos pesquisa espontânea:


Confira os índices de intenção de votos pesquisa estimulada:



Confira os índices de intenção de votos pesquisa estimulada para "rejeição":


Confira os índices de intenção de votos pesquisa estimulada confronto direto; Puccinelli x Azambuja



Metodologia


A pesquisa foi realizada entre os dias 1º e 10 de março de 2017, com 3 mil pessoas com idade acima de 16 anos, em 17 municípios de Mato Grosso do Sul.
Voltar
Site desenvolvido por: