31/01/2018 - 03:21

Idosa vende pano de prato no semáforo para cuidar do neto com paralisia cerebral

TV Morena
G1/MS
Para a dona Luzia Almeida Leixo, vender panos de prato nos semáros de Campo Grande é bem mais que uma rotina ou um trabalho. Significa tentar que o neto dela, que tem paralisia cerebral, não passe por necessidades, assim como a neta e o marido.

A idosa pegou a guarda das duas crianças porque a mãe é usuária de drogas e não tem condições de manter as crianças. O menino vive em uma cadeira de rodas, e nem consegue se alimentar sem ter a ajuda de alguém.

"Assim que nasceu eu fiquei no hospital direto. Ficava noites lá com ele, quando ele ficava ruim, né? Só ficava internado. Passava a noite lá com ele internado. Aí eu peguei a guarda deles. Tive que ir lá no conselho pegar a guarda", explicou.

Apesar de o marido e o neto receberem um benefício devido a problemas de saúde - cada um no valor de um salário mínimo -, dona Luzia precisa complementar a renda vendendo os panos. Ela pega coletivo todos os dias para ir ao centro e leva os netos junto.

"As pessoas também me ajudam. Às vezes eu tô na rua vendendo os panos de prato, um pede o meu telefone, meu endereço. Aí eles vêm: 'A senhora tá precisando de alguma coisa? Aí eu compro uma mistura pra dentro de casa, fralda pra ele", contou dona Luzia.

Os panos são revendidos. A idosa compra prontos e coloca um valor um pouco maior para que tenha ganhos. Enquanto a situação financeira não melhora, continua tudo como está. O esforço permanece sendo a maior ferramenta da idosa para seguir em frente. "É só Deus que dá força, viu? Porque não é fácil não. Não é fácil", desabafou.
Voltar
Site desenvolvido por: